No crack!


nocrack

Não faz muito tempo que eu recebi um e-mail do dono de um barco novo pedindo ajuda para solucionar um problema que ele imaginava ser sério. Seu barco, com pouco tempo de uso, tinha desenvolvido pequenas rachaduras em forma de linhas continuas em alguns locais da superfície do gelcoat. Ele estava preocupado com o problema e imaginava que aquilo poderia se tornar algo mais sério.

Antes de entender sobre estas pequenas rachaduras e suas possíveis consequências é importante saber por que o gelcoat é usado em barcos e como ele é aplicado. Para a maioria dos construtores de barcos, é o primeiro item do processo construtivo. Ele sempre é aplicado com um sistema de spray sobre o molde com uma espessura de aproximadamente 0.6mm que, posteriormente, será recoberta com várias camadas de fibra e resina. Quando a peça está laminada e pronta, é retirada do molde e a camada mais externa visível é a do gelcoat. É ele que proporciona o aspecto liso e polido da superfície de um barco.

Existem dois objetivos por trás da aplicação do gelcoat. Se aplicado corretamente ele deve proporcionar um bom aspecto cosmético ao laminado e, além disso, resiste bem às intempéries e abrasões do dia a dia do uso de um barco.

Gelcoat é essencialmente uma resina poliéster pigmentada, o mesmo tipo de resina usada para a laminação das camadas de fibra de vidro. Quando fica danificado ou desenvolve pequenas rachaduras superficiais, seu apelo estético diminui, o que não influencia na capacidade de proteção do laminado e, muito menos, gera um problema estrutural catastrófico.

Ainda que o gelcoat não seja aplicado principalmente para fins estruturais, algumas pequenas rachaduras superficiais e outros defeitos podem ser visualmente desagradáveis. Na maioria dos casos as fissuras ocorrem por algumas razões, dentre elas, está a aplicação de um filme com espessura maior do que a recomendada. Isto pode ocorrer nos cantos mais complexos do convés ou de uma peça do interior do barco onde existem muitas depressões no molde e locais que são realmente difíceis de chegar. Nestes locais, para garantir um filme da espessura correta, é possível deixar que algumas áreas adjacentes tenham uma espessura acima do recomendado.

Como o laminado de fibra de vidro tem uma elongação alta, conseguindo flexionar relativamente bem, o gelcoat que tem uma formulação mais rígida devido a adição de cargas e pigmentos pode apresentar pequenas fissuras superficiais. Os locais que ele fica normalmente mais espesso durante a sua aplicação são nas áreas mais confinadas ou depressões do molde.

Outras áreas onde podem ocorrer rachaduras são nos locais onde estão instaladas as ferragens. Se elas sofrem grande esforço ou se os parafusos de sua fixação têm um aperto maior que o necessário, é possível que a superfície rígida do gelcoat trinque, mesmo que a espessura aplicada esteja correta. Em casos extremos onde o reparo é complicado e custoso, a melhor maneira de resolver o problema é lixar e pintar todo o convés novamente utilizando uma cobertura mais flexível, como tinta. O resultado é sempre muito bom.

Ao inspecionar uma rachadura é sempre adequado saber a sua causa. Se o dano foi causado por impacto direto como a queda de algum objeto sobre a superfície do gelcoat em áreas lisas, o problema pode ser melhorado. Em locais de concentração de tensão de parafusos ou cantos agudos, mesmo com o reparo, as fissuras podem reaparecer. Em geral, a maior parte dos casos de fissuras no gelcoat é um problema mais estético do que estrutural, o que gera pouca preocupação por parte dos proprietários de barcos. Durante um possível reparo ou repintura total da parte danificada é sempre necessário verificar o custo das opções de conserto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>