O Homem por trás do Fundo em “V” 3


blog_rayhunt

 

A palavra “inovação” deriva etimologicamente do latim innovare e novus, que significa “algo novo”, “novidade”, mudanca da ordem pre estabelecida das coisas ou fatos, de forma a criar uma nova identidade para a mesma solução. Inovar não se resume apenas às novidades tecnológicas, ou ao contexto atual de progresso da humanidade, mas está e sempre esteve presente no processo evolutivo da civilização, nos procedimentos criativos de renovação do passado e criação do futuro, no desenvolvimento do presente e da dimensão do agora.

No mundo náutico se existe um indivíduo que esta palavra possa ser creditada é ao projetista americano Ray Hunt. Seu nome completo era Charles Raymond Hunt, mas quase ninguém sabe disso. Ray era um projetista único, mundialmente conhecido e respeitado como velejador e medalhista olímpico, ainda que preferisse fugir das lentes e de elogios, seu invejável portfólio inclui incríveis projetos de veleiros e lanchas que ganharam campeonatos internacionais. Embora ele não tenha estudado além do ensino médio, ele tinha uma habilidade nata de ler o mar e entender como se mover através da água e do vento da forma mais rápida, mas foi especialmente em um de seus projetos que Hunt consolidou seu legado para a história.

O primeiro projeto de um casco com fundo em “V” foi em 1950, até então a totalidade dos barcos que planavam tinham o fundo muito chato e os outros com o fundo muito redondo. Como o desenho das asas dos aviões, abertas em um angulo em “V”, Hunt desenhou o primeiro barco com um “V” bem pronunciano na popa, que conseguia navegar com ondas e manter uma excelente média de velocidade. O primeiro barco batizado de “Sea Blitz” construído em Boston Harbour foi um sucesso. Nos anos seguintes produziu o casco que se tornaria o famoso “Boston Whaler” que tinha um desenho único e era insubmersível. Foi um sucesso para a época e até hoje é vendido.

Mas foi em 1960, junto com o construtor e piloto Dick Bertram (Bertram Yatchs) que ele colocou sua marca na história náutica mundial, e da humanidade também. Com um casco com um “V” de 24 graus ele projetou e construiu o barco Moppie (apelido da esposa de Dick) para a corrida “Miami Nassau Race”. O evento foi literalmente um divisor de águas em termos de barcos a motor. Foi a primeira corrida de Bertram como piloto. O mar tinha ondas de 2 a 3 metros de altura e ventos de 30 knots durante quase todas as 180 milhas de distância entre a Florida e as Bahamas.

O que aconteceu naquele dia tempestuoso de Abril através das correntes de águas claras do Golfo ate as Bahamas mudaria para sempre o formato dos barcos a motor para as próximas décadas ou séculos. O casco mostrou uma habilidade única de cortar as enormes ondas em sequência do oceano e cruzou a linha de chegada estabelecendo um novo recorde para a distância com 8 horas de navegação. O segundo lugar cruzou 2 horas depois. O mar estava tão grosso que somente 3 barcos cruzaram a linha naquele dia. Todos os outros voltaram.

Mesmo hoje em dia, com novas ideias aqui e ali sobre como projetar o fundo de um barco a motor, todas elas acabam caindo no conceito do casco em formato de “V profundo” de Hunt que certamente foi o último nível de inovação nesse mérito. O conceito mostra que até hoje a concepção de Hunt a 50 anos atrás ainda é inovadora.

Hunt começou sua carreira como velejador, chegando a timonear barcos de seus próprios projetos em campeonatos mundiais e toda sua sensibilidade de decifrar o vento, a água e o comportamento dos barcos, formaram sua essência como projetista de lanchas e barcos a vela. Nunca exitiu um projetista que fosse tão competente nas duas disciplinas. As habilidades intuitivas credenciaram Ray para se tornar um dos projetistas mais inovadores de sua época. Talvez o maior tributo a Hunt seja a longevidade do “Fundo em V” em um mundo de mudanças frequentes e contínuas.

Ray Hunt morreu no verão de 1978, e sua invenção nunca conseguiu ser patenteada, o que gerou uma certa frustração para ele. Pouca gente sabe o nome do projetista que deu origem a praticamente todos os desenhos hidrodinâmicos de barcos a motor que navegam hoje em todo o mundo. Para todo mundo agora lembrar, o nome dele é Ray Hunt!


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

3 thoughts on “O Homem por trás do Fundo em “V”

  • Mike Nelson

    Excelente a matéria!
    Longe de ser um expert, sequer um construtor mas, um admirador do mundo náutico, assim como inúmeras pessoas não sequer sabia que Raymond Hunt existiu nem que foi o responsável pelo famoso hidrovê.
    Muito enriquecedor saber disso.
    Parabéns pela divulgação e obrigado!